quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Aproveitando o gancho

Bom, aproveitando o gancho do post anterior, resolvi colocar
esta poesia, que também fala sobre quando o amor acaba.
Essa já é bem mais antiga e o tema é velho.
Eu lembro quando era menor e ia na missa, ouvia o padre
falando do fim do casamento no sermão.
Eu pensei no tempo, que geralmente é remédio pra tudo,
mas nesse caso está mais para o vilão da história.

E o amor acabou

O marido velho
e barrigudo,
que procura
nas moças novas

o viço que
sua esposa
talvez já não tenha,

um dia também foi
um namorado apaixonado.

Caminhou de braços dados,
sentiu frio na barriga,
mandou rosas, deu bombons,
e jurou amor eterno.

Pelo caminho,
o amor parece que ficou,
e não chegou
na meia idade.

Se perdeu pela cidade,
andou em vão.
Fez poesia,
faltou rima.
Já não diz: coração!

Sérgio Medeiros

3 comentários:

Anxious Girl disse...

Ia na missa Sérgio???Quem diria..:p

p.s.: Posta uma poesia romântica agora

Sérgio Medeiros disse...

Ora, bolas! Eu sempre fui um bom rapaz :-)

Aquiles Burlamaqui disse...

Nunca entendi de poesia,
mas gostei dessa!
Não pelo jogo de palavras,
mas pela mensagem que trazia.

Feliz por ter entendido,
as mensagens daquele Sérgio novo,
Ansioso para entender,
as mensagens do Novo Sérgio.