quinta-feira, 20 de maio de 2010

Passarinho Triste

Fale baixinho
e fique perto de mim,
me dando leves abraços,

dizendo coisas comuns,
do tempo, do seu cabelo preto.

Não se canse do
meu silêncio,
e aceite os
gestos que não faço.

Você me olha e sorri:
sou um passarinho triste
que não sabe cantar.

Sérgio Medeiros

Um comentário:

Marcello disse...

Sérgio.
Pra lá de belo seu poema, me vi segurando nas mãos um pássaro pequeno e frágil.

Abraços.