quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Sobre o tempo

Ao escutar o badalar
do sino no alto da torre,
os homens, mecanicamente,
ajustam os relógios.

O tempo, tão contido nos relógios,
controla quando cabe aos homens comer
e quando devem jejuar.

Após uma certa quantidade de tempo,
urge que os homens se enfeitem
e reúnam outros homens pra comemorar.

Em toda parte os homens aguardam
o tempo de fazer poesia,
o tempo de rimar versos
e de os rasgar.

O tempo diz aos homens
quando esconder suas marcas no rosto
e quando já não importa mais.

O tempo não se importa com os homens.

Sérgio Q Medeiros

5 comentários:

Paulo Henrique Motta disse...

boa, hein, muito boa!!!

Paulo Henrique Motta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Henrique Motta disse...

pô, sério mesmo!!

"o tempo de fazer poesia,
o tempo de rimar versos
e de os rasgar."

isso foi muito foda!!!!

me ganhou como leitor de uma vez por todas!!

um abração, Sérgio.
estarei sempre por aqui...

MAILSON FURTADO disse...

Gostaria de agradecer a vocÊ todo o carinho e as visitaas, opiniões em meu blog esse ano!

Mais um ano chega e desejamos sempre que ele seja muito melhor do que está acabando.

Assim, te desejo tudo de bom, felicidades MIL!

Obrigado por tudo e Feliz Ano Novo!

Braulio disse...

Simplesmente genial.