domingo, 29 de março de 2009

Sobre grandes e pequenas

A maioria das minhas poesias, cabe muito bem em uma página de caderno. Fazer algo com mais de 1 página é quase impensável para mim. Esta é a poesia que rendeu mais linhas, deu mais de 1 página até no computador!!!


Noite de Vendas

A menina
morena e pobre
sai à noite
junto com a mãe.

Andando pelas calçadas
por onde anda gente bonita,
elas tentam timidamente
vender alguma coisa.

Mas, pobres mulheres,
sua mercadoria
não desperta
interesse
na gente bonita,
produzida, que passa.

Entre negativas,
a mãe matuta um pouco...

E recebe da brisa,
além de um
possível resfriado,
um pouco de ternura.

Sua filha,
que brilho ela tinha...
E nunca que
havia reparado.

E tão frágil ali,
talvez já com sono,
e tão tímida
para conseguir vender algo.

Quantos mimos
podia ela oferecer
àquele serzinho
moreno?

A mulher não
contém os soluços,
não contém as lembranças,
nem os seus olhos
contêm as lágrimas,

que começam a
cair agora,
como uma
chuva grossa,
de pingos gordos.

Segue um abraço,
que a filha,
não entende.
A noite continua,
e a caça às moedas
também.

Sérgio

5 comentários:

Anxious Girl disse...

Muito lindo Sérgio! Gostei mesmo.

Anônimo disse...

aê, essa foi boa, mas nesse seu caderno não tem nenhuma que seja um pouco mais animadinha, não? só pra variar um pouco... ;)
--
bruno

Sérgio Medeiros disse...

Evelin -> obrigado mesmo pelos comentários :-)

Bruno -> vou conversar com o caderno pra ver se ele tem algo mais animado :-)

Ives Macêdo disse...

Realmente bonita, Sérgio...
Gostei tanto que te chamei pelo nome...

Abração,

Ives

Sérgio Medeiros disse...

Porra, deve ter gostado mesmo. Não me lembro da última vez que vc me chamou pelo nome, se é que isso já aconteceu :-)