quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Sobre títulos

Terminada uma poesia, chega a hora de dar um nome.

Um maneira de dar um nome é não dando um nome, apenas números como "Soneto XXXIII".

No começo eu sempre tentava pensar em um título. Depois comecei a ter uma falta de idéias para os títulos e a me perguntar se os títulos que eu estava dando eram bons.

Aí me dei conta de uma terceira estratégia, onde o título da poesia é simplemente alguns dos seus primeiros versos. Achei esse um bom meio termo entre simplesmente enumerar e inventar um título.


Por uns dias de verão

Por uns dias de verão
eu mudei de estação
e até por alguns passos
me arrisquei na contramão.

Deixei de levar comigo
as mesmas coisas costumeiras
e até mesmo pimentão
já não compro mais na feira.

Desisti de ir na missa
e recorri a uma rezadeira
que promete me curar
usando ramos de oliveira.

Depois comprei um cão,
para servir de companhia
enquanto o tempo não muda
e cai uma garoa fina.

Eu sento e assisto TV,
vejo filmes de ação,
espero enquanto não chegam
os meus dias de verão.

Sérgio Medeiros

4 comentários:

Bruno Silvestre disse...

O Ives vai gostar dessa, tem rima... =)

Ives Macêdo disse...

Mais uma com rima! :D
Mas gostei mais daquela que foi feita sob encomenda... ;)
Vou tentar passar a comentar mais agora que não preciso colocar senhas ou criar contas... :P

Meus parabéns, Chapolin! Tá um poeteiro de mão cheia...

Sérgio Medeiros disse...

Agora tá muito fácil, qualquer matemático sem intimidade com o computador e que gosta de rimas pode comentar :-)

Eraldo Luís disse...

Gostei muito dessa Sérgio. Não porque tem rima :).